fotos05.jpg

Município discute segurança em reunião

Comerciantes, administração municipal e representantes da polícia civil se reuniram no último dia 3.

Uma onda de assaltos e violência tem perturbado a paz dos moradores de São Francisco de Paula, os que mais têm sofrido com a ação dos criminosos são os comerciantes, que não se sentem mais seguros em nenhuma hora do dia ou da noite. Uma série de assaltos à mercados, lojas e estabelecimentos, a maioria deles caracterizados pela violência na abordagem e o forte armamento usado pelos  bandidos, levou os comerciantes a se reunirem com o poder público municipal, a  Polícia Civil e o Ministério Público a fim de tomar providências.

A reunião aconteceu na última sexta-feira, 3,  no auditório da Prefeitura Municipal às 14h. Na ocasião as autoridades de segurança trataram de esclarecer detalhes que os comerciantes podem prestar a atenção para prevenir os assaltos, e ainda assim, se eles acontecerem, falaram sobre os meios de facilitar a investigação policial. A Polícia Civil e o Ministério Público também destacaram o principal problema que é a falta de efetivo, ressaltando que essa não é uma situação exclusiva do município e sim de todo o Estado.

A comunidade se mostrou indignada com o não comparecimento da Brigada Militar na reunião e disse se sentir insegura e com medo da impunidade. Diversos comerciantes relataram detalhadamente os casos de violência por que passaram em seus estabelecimentos e pediram orientações às autoridades.

O Delegado da Polícia Civil Daniel Rescheke ressaltou a importância de registrar os roubos também na Polícia Civil e não somente na Brigada Militar, pois o registro da BM demora dias para chegar até eles, o que dificulta as investigações. E disse que mesmo a delegacia estando fechada nos finais de semana, é possível fazer o registro na segunda-feira seguinte. Quem também se pronunciou foi o Promotor Dr. Bruno Pereira Pereira que pediu que os moradores oficializem as suas reclamações quanto à prestação de serviços pela BM, que segundo os moradores tem sido falha, também no Promotoria.

Após a reunião foram expostos alguns meios de segurança que cada comerciante pode optar para se proteger, a principal meta estabelecida pelos participantes foi desenvolver um trabalho conjunto para que a paz volte a reinar no município, com pouco mais de 20 mil habitantes, que antes não registrava tanta violência como agora. Por isso, foi formada uma comissão que irá representar todos os comerciantes e sociedade civil serrana cobrando mais efetivo policial para São Francisco de Paula, na Secretaria de Segurança Pública do Estado, em Porto Alegre, além de outras ações para que se chegue à uma solução e os moradores voltem a se sentir tranquilos e seguros.

A INSEGURANÇA DA POLULAÇÃO

A Polícia, tanto a Civil quanto a Brigada Militar, com pouco efetivo deixa o município cada vez mais vulnerável. Recentemente na madrugada da última terça-feira 7, a agência do Banco do Brasil teve os caixas eletrônicos explodidos, numa tentativa de assalto. Duas pessoas foram feitas reféns e serviram como escudo durante a troca de tiros com os policiais. Ninguém saiu ferido e segundo informou a Brigada Militar, a tentativa de assalto foi frustrada, pois os criminosos não conseguiram levar dinheiros dos caixas. O Carro em que os bandidos fugiram, um Hyundai i30 cor prata, com placas de Porto Alegre, foi encontrado a quatro quilômetros do local do crime na ERS-110, que liga o centro de São Francisco de Paula ao distrito de Várzea do Cedro.

 
 
 
 


Texto e fotos: Assessoria de Imprensa Prefeitura Municipal

Acessibilidade

 


















Prefeitura Municipal de São Francisco de Paula
Av. Júlio de Castilhos, 444 - Bairro Centro
São Francisco de Paula/RS - 95400-000
Fones: (54)3244-1386
(54)3244-3214
(54)3244-1214